Lewis Hamilton: Um campeão

Após ver o título de campeão mundial de Fórmula 1 escapar por entre seus dedos, a temporada de 2008 começou com outro foco para Lewis: vencer!

Mas aos 23 anos, sua imaturidade somada ao seu estilo agressivo de pilotagem, deixou seus fãs sufocados em uma montanha-russa de emoções.

Lewis começou o ano com o pé direito, fez a pole position e venceu a primeira corrida da temporada, na Austrália.

Porém na segunda corrida, o GP da Malásia, ele foi rebaixado de quarto para nono na classificação, por impedir uma volta rápida de Nick Heidfeld, terminando a corrida em quinto.

No GP do Bahrein as coisas continuaram mal. Após um acidente que destruiu seu carro, Lewis precisou utilizar um chassi de reposição e ficou em terceiro na classificação. Na corrida ele colidiu com Fernando Alonso, e assim foi ultrapassado no campeonato de pilotos por Kimi Räikkönen e Nick Heidfeld.

Ele voltou ao podium no GP da Espanha, onde largou em quinto e terminou em terceiro. E no GP da Turquia manteve-se no podium, dessa vez em segundo. Mas a sua consagração veio em Mônaco, onde venceu e colocou-se na liderança do campeonato. Um alívio para todos os fãs!

No GP do Canadá, Lewis conquistou mais uma pole position, mas bateu na traseira de Kimi Räikkönen no final do pit lane. Um desastre! Ambos os carros foram obrigados a recolher e Lewis recebeu uma penalidade de 10 posições no grid da próxima corrida, o GP da França, onde terminou em décimo terceiro.

Já no GP da Inglaterra Lewis trouxe uma bela vitória em pista molhada, enchendo de entusiasmo o coração dos fãs! Assim como no GP da Alemanha, onde venceu com uma vantagem de 9 segundos.

Apesar de vencer o GP da Bélgica, Lewis recebeu uma punição de 25 segundos por ter cortado uma chicane para evitar bater em Kimi Räikkönen, caindo para a terceira colocação, deixando a vitória para Felipe Massa, seu maior rival naquele momento.

O GP da Itália não foi bom para nenhum dos dois, a vitória ficou com Sebastian Vettel, sendo que Felipe ficou em sexto e Lewis em sétimo. Este resultado reduziu a vantagem de Lewis sobre Felipe para um ponto. Na corrida seguinte, o GP de Cingapura, Lewis terminou em terceiro, enquanto Felipe não pontuou, permitindo abrir sete pontos de vantagem em sua liderança.

No GP do Japão Lewis estava na pole e Felipe em quinto, porém após colidirem em uma ultrapassagem na chicane da curva 10, Lewis caiu para a última colocação, e fazendo uma emocionante corrida de recuperação conseguiu terminar em décimo segundo.

Já na penúltima corrida da temporada, o GP da China, Lewis levou a pole e a vitória, abrindo vantagem de sete pontos no campeonato de pilotos.

Com isso Lewis precisava terminar pelo menos em quinto no GP do Brasil para garantir o título. E, após deixar seus fãs com o coração na mão até a última volta, ultrapassou Timo Glock, que havia permanecido com pneus de pista seca apesar da chuva, garantindo assim a quinta colocação e a vitória do campeonato!

Eu me lembro de segurar a respiração durante os longos 15 segundos em que Felipe Massa consagrava-se campeão, para respirar aliviada somente após Lewis Hamilton cruzar a linha de chegada!

E dessa forma Lewis terminou a temporada um ponto à frente de Felipe, conquistando o título mundial de 2008 como o piloto mais jovem a vencer, com apenas 23 anos.

Assim esse grande piloto com um grande histórico no automobilismo vem em busca de seu bi-campeonato. Contudo desde 2009, com as mudanças do regulamento, a Red Bull de Adrian Newey assumiu uma superioridade inquestionável na Fórmula 1, dificultando para as demais equipes brigarem pelo título.

Em 2009 Lewis venceu apenas 2 vezes, em 2010 venceu … vezes e chegou na última corrida com chances matemáticas de levar o campeonato. Nesse ano ele também vem se esforçando para correr mais do que o MP4-26, contudo parece não ser suficiente.

Só espero que em breve a McLaren consiga oferecer um carro digno de um campeão. Mas independente disso eu continuo torcendo por Lewis, afinal admiração de fã é assim mesmo: enquanto muitas pessoas o acham inconstante, eu o acho emocionante! Principalmente quando faz uma corrida de recuperação, mostrando o que ele sabe fazer de melhor: ultrapassar sem se importar em deixar riscos no capacete do adversário.

A cada corrida, seus altos e baixos me faz senti-lo humano, um herói feito de carne e osso como todos nós. E isso só aumenta a minha admiração por Lewis, pois sinto que se ele pode superar os seus limites, eu também posso!  E é isso que um herói deve fazer: motivar seus admiradores!

 

*Texto publicado originalmente em 18/08/2010 no blog Ultrapassagem.

About Mari Espada

Sou arquiteta e ciclista. Mãe do Arthur e esposa do Daniel. Apaixonada por Formula 1 e Doctor Who. Com orgulho: Sou um peixe fora d'água...

3 Comments

  1. Valeu Mari, são grandes lembranças!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *