Sidepods: inovar ou copiar?

Desde a última brusca mudança de regulamento ocorrida em 2009, percebe-se que a McLaren vem buscando a perfeição no design e aerodinâmica dos sidepods de seus monopostos.

Em 2009 o MP4-24 apresentou sidepods comuns

Em 2010 o MP4-25 trouxe entradas mais quadradas

Em 2011 o MP4-26 surpreendeu com os sidepods em U

E para 2012 o futuro MP4-27 aparentemente trará novos sidepods, dessa vez laterais ao cockpit, como informado pelo nosso comentarista Leandro Magno e ilustrado pelo nosso autor Becken Lima.

Com isso trago para esse post a discussão sobre as constantes mudanças nos sidepods mclaristas, afim de entendermos se a inovação da próxima temporada será eficiente e promissora, ou se deveríamos parar de “inventar a roda” e copiar a proposta bem sucedida dos touros vermelhos.

Particularmente, eu sempre tendo às inovações, pela simples genialidade contida nessa engenharia. Mas será que isso nos ajudará a voar sem tomar Red Bull?

About Mari Espada

Sou arquiteta e ciclista. Mãe do Arthur e esposa do Daniel. Apaixonada por Formula 1 e Doctor Who. Com orgulho: Sou um peixe fora d'água...

10 Comments

  1. Olá

    Realmente, eu não conhecia seu blog, Will

    Muito interessante, parabéns.

    Vou ler mais posts e daí expresso minha opinião

    Abraço!
    http://www.temalgumacoisaerrada.blogspot.com

  2. Essa temporada nem acabou e eu já estou ansioso pra ver como será o 27! Hehehehe xD
    A Mclaren já está nos deixando acostumados a inovações…vamos ver o que eles trarão pro ano que vem!

  3. O mais importante na próxima temporada para o MP4/27 será encontrar uma maneira de gerar downforce na traseira do carro, algo que vem faltando de forma crónica desde a implementação das regras que diminuíram o tamanho da asa traseira, e que no ano passado puderam ser mascaradas com o difusor duplo e esta temporada com o sistema escape/difusor, soluções essas que qualquer uma delas não poderão ser utilizadas na próxima época, então o desenho da traseira será fundamental, agora até que ponto os sidepods poderão influenciar nisso é uma boa questão, seguramente muito já que eles vão ser decisivos na geração dos fluxos aerodinâmicos que irão escoar para a traseira do carro, então o seu conceito terá de ser pensado de forma muito cuidadosa, assim o espero.

    • Sem dúvida, Marcos, o 26 é extremamente dependente da asa traseira para gerar downforce, e isso não é nada bom, ainda mais em circuitos como Monza, como vimos no último GP. A McLaren precisa solucionar esse problema crônico, e quem sabe os sidepods e seus fluxos de ar não seja o caminho certo? Espero que sim…
      Beijos e seja bem vindo ao nosso blog!

  4. Não conhecia o blog, mas já virei freguês. Hehehehe.

    Me preocupa essa questão dos sidepods, mais em função de que não conseguem seguir em um novo conceito e evoluí-lo. Acho que nisso a Mclaren anda pecando um pouco, querendo reinventar a roda a cada ano.

    • Seja bem vindo ao Papaya Orange, Gilmar!
      Recomeçar o projeto dos sidepods ano após ano demonstra incerteza, mas também a busca por uma solução. E dentre as duas opções eu prefiro olhar do ponto de vista da segunda, apenas para manter o otimismo! =)
      Os carros da McLaren tem um problema de downforce e nada mais natural do que eles buscarem formas cada vez melhores de resolver isso. Só tenho dúvida se não seria mais prático copiar a solução alheia, invés de inventar algo tão diferente para atingir o mesmo objetivo. Pouparia energia, mas não seria a McLaren que eu tanto admiro. Então que venham as novidades!
      Beijos!

  5. Fico aguardando o 27 ansiosamente. E espero um refinamento do 26, não que a solução dos sidepods em U tenha falhado, mas é que para nós (como bem citou o Marco Alves) o problema é ‘mais atrás’. Quero ver como essa solução pode ser refletida em mais pressão aerodinâmica na traseira do carro.

    • Concordo. Acho que com o fim do EBD, talvez tenhamos mais chances em função do ótimo conjunto mecânico que a Mclaren sempre tem. No entanto, embora o 26 seja muito dependente o EBD, o 150º e o RB7 também foram projetados em função do mesmo conceito. Portanto, não acho que o 27 leve tanta desvantagem assim neste quesito.
      Acho que sem o EBD é possível que os benefício dos sidepods em U sejam mais explícitos, uma vez que o seu principal objetivo é fazer o ar chegar mais disciplinado ao difusor. Com o EBD, acabou sendo diluído em função dos benefícios deste, muito maiores do que o dos sidepods.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *