McLaren-Honda: Um retorno aos tempos áureos?

Os anos de 1988, 1990 e 1991 trazem consigo a lembrança das vitórias de Ayrton Senna na Fórmula 1, e não coincidentemente todas movidas por um motor Honda.

Por isso foi inevitável não resgatar essa alegre sensação ao ler a notícia de que, possivelmente, a equipe de Woking reatará a parceria com a fábrica japonesa para 2014, quando o regulamento passará a exigir motores V6 turbo, mais ecológicos e econômicos.

E fundamentando essa especulação está o atual contrato da McLaren com a Mercedes Benz, que vai até 2015, podendo ser quebrado antes do previsto.  Somado à movimentação interna da corporação para comprar os 16% da equipe que ainda restam nas mãos da fabricante de motores alemã.

Com isso a McLaren terá mais autonomia para negociar novos acordos “como e com quem” bem entender.

Inicialmente até chegou-se a cogitar a possibilidade da produção de motores na própria fábrica de Woking. Mas aparentemente isso estaria acima do orçamento atual da equipe, que já declarou precisar vender muitos mais MP4-12C’s do que atualmente para dar suporte a esse sonho.

Então enquanto não chega o momento de vermos os motores McLarens, que a Honda venha para “roubar” o posto da Mercedes Benz como o melhor motor da Fórmula 1.

About Mari Espada

Sou arquiteta e ciclista. Mãe do Arthur e esposa do Daniel. Apaixonada por Formula 1 e Doctor Who. Com orgulho: Sou um peixe fora d'água...

13 Comments

  1. Com novos motores para as equipes, como seria? Será que a regra de congelamento de desenvolvimento seria mantida e o motor só poderia ser desenvolvido antes do campeonato começar?

    • Sobre o regulamento de 2014, o que muda quanto aos motores são, principalmente, as suas especificações que, como eu citei no post, será V6 turbo de 1.6 litros.
      .
      Outros detalhes importantes são que no pitlane o motor deverá funcionar totalmente de forma elétrica, o que exigiu um aumento na capacidade do KERS de 80cv para cerca de 160cv.
      Que o motor deverá ser ligado (e religado, se necessário) pelo piloto sem ajuda externa.
      E que a relação da caixa de câmbio deverá manter-se inalterada durante toda a temporada, exigindo um aumento para 8 marchas afim de possibilitar um desempenho mais satisfatório em pistas tão distintas como Monza e Mônaco.
      Além disso a FIA anunciou que o fluxo de combustível será limitado a 100 kg/hora, o diâmetro dos cilindros foi fixado em 80mm e o peso do motor (incluindo o KERS que pesa de 20 a 25kg) deverá ser de no mínimo 155kg.
      .
      Demais situações, acredito que mantem-se como está no regulamento atual… mas se alguém souber de mais informações , agradeço se puderem complementar a minha breve abordagem sobre o tema. =)

      • Olá! Mudando de assunto. Voce ai ao GPBrasil neste ano , a galera que era do Ultrapassagem, como vai ficar alguem ai vai, eu vou lá no G fico com o pessoal da P7, que são bem bacanas poderiamos nos encontrar para bater papo e relembrar as histórias da F1. para achar voces vão ter bandeira ou faixa do Papaya

        • Oi Jopa! Do pessoal aqui do Papaya Orange somente eu irei para Interlagos, e quando eu escrevia pro Ultrapassagem ninguém de lá ia, a não ser um leitor e comentarista o Dorfão. Eu estarei na torcida Acorda Cedo, vou acampar lá na calçada do portão da G de sexta à domingo, para garantir meu lugar nos 50 metros finais da reta oposta. Me procure, será fácil me achar, já que não tem muita mulher por lá, hehehe. De toda forma vou te passar meu telefone nesse e-mail que você registrou aqui no comentário, me ligue quando estiver lá! Beijos!!!

  2. Mc Laren HondaTurbo. Esse nome me faz viajar…

  3. Eu fico bem feliz com a notícia. Mas acho que o caminho para a McLaren seria desenvolver o motor com a Ricardo e acabar com sobrenomes no nome da equipe.

    • Uau! Mas e agora? Em 2016 teremos motores Ricardo (tão bons quanto os Mercedes)? Ou iremos renovar o contrato com a fabricante alemã? Ou será que a Honda só tá querendo dispistar a mídia e a gente tá perdendo tempo nessa discussão? Hehehe.
      Hum… Nesse mundo de incertezas, acho que prefiro esperar para ver! Já tenho muitas outras coisas pra me preocupar. =P

  4. Anselmo Coyote (Στην Ιθάκη)

    One question:

    Quais foram as colocações da Red Bull e Renault em 2010 e 2011 e com quais motores?

    Aproveite e mande aí a conclusão lógica do imbroglio?

    Abs.

    • O Renault pode estar dando pro gasto, mas não é mérito do motor essa colocação das equipes, todos sabemos que o segredo é aerodinâmico. Ao meu ver o Mercedão continua sendo o melhor motor. Mas em 2014 as coisas podem mudar, já que o regulamento será outro. E aí que entra a suspeita da Honda, ou uma produção própria, ou a renovação com a Mercedes. Tudo pode acontecer até lá, e certamente os torcedores mclaristas já estão ansiosos para ver o desfecho dessa história.
      Beijos!

  5. Pingback: Cores e motores » Papaya Orange

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *