Não desanime, mclarista!

Para muitos fãs da McLaren que, assim como eu, ainda acreditavam na caça de Lewis ao Fernando, o GP desse fim de semana foi um divisor de águas entre o possível e o improvável.

A McLaren chegou em Cingapura com três vitórias e três poles consecutivas – das quais Lewis levou duas – conquistadas em pistas de características completamente diferentes, mostrando a força do MP4-27.

Classificação com glória e história

Força que ficou evidente logo na classificação, quando a McLaren assumiu a liderança, e Lewis conquistou a pole position mais fantástica do ano.

Pois além de atingir a marca de 24 poles em sua carreira, alcançando os tri-campeões Alain Prost e Niki Lauda, essa conquista representou o aniversário de 40 anos da primeira pole da equipe de Woking, conquistada por Peter Revson no Mosport Park – Canadá, em 23 de setembro de 1972.

Tensão nos bastidores

Porém, enquanto nós comemorávamos, os engenheiros e o piloto seguravam a tensão de um risco que assumiram para a corrida – Não substituir a caixa de câmbio que poderia apresentar problemas, para não perder 5 posições.

Dessa forma eles jogaram os dados pelo tudo ou nada… era 25 ou 0, invés dos 10 pontos que Lewis conquistaria caso largasse e chegasse na quinta colocação nesse carrossel de Cingapura.

Paz no abandono da corrida

E infelizmente ficaram com o nada. Nada!

Mas Lewis mostrou-se em paz com a escolha tomada, ao deixar seu carro parado na pista e caminhar tranquilamente para uma área segura, olhando para trás, para a torcida e encarando os fatos.

 Contabilizando os danos

Fatos que significam 52 pontos de distância para Fernando, invés dos 37 antes de Cingapura, ou 42 caso tivesse terminado a corrida na quinta colocação. Fatos que significam cair para quarto na classificação atual do WDC, atrás de Sebastian e Kimi. Fatos que significam contar com o azar do espanhol para conseguir esse título.

Temos mais 6 corridas e 150 pontos em jogo. Mas se Lewis conquistar todos os topos dos próximos podiuns, e Fernando ficar com o segundo lugar, o espanhol ainda terminará a temporada com as mãos na taça.

Ajudinha bem vinda

Portanto seria necessária uma ajuda de Jenson (ou outro azarão que esteja abaixo de Lewis na classificação) para ficar à frente de Fernando e garantir que o improvável não se torne impossível.

Surpresa e esperança

E para a nossa surpresa, ontem Martin Whitmarsh disse para a BBC que Jenson o procurou, por conta própria, e abordou a questão de ajudar ao Lewis nas próximas corridas.

O piloto do carro número 3 parece estar disposto a ajudar seu companheiro, mas o chefe da equipe mostra ter bastante cuidado para não ferir o ego de Jenson e afetar sua performance na pista, comprometendo o mundial de construtores.

De toda forma, essa é uma boa notícia que poderá manter viva a nossa esperança do bi-campeonato de Lewis pela McLaren.

 

About Mari Espada

Sou arquiteta e ciclista. Mãe do Arthur e esposa do Daniel. Apaixonada por Formula 1 e Doctor Who. Com orgulho: Sou um peixe fora d'água...

59 Comments

  1. O único que tem condições mesmo que remotas de conquistar o título de pilotos é o Lewis, então a equipe toda deveria passar a trabalhar para que isto ocorresse. Não confio nada no Button, mas se ele for capaz de se colocar à frente do Alonso, isso já seria o suficiente para eu mudar minha opinião sobre ele. Lewis tem capacidade e equipamento de sobra para fazer todas as poles que restam, mas precisa urgente de um “fiel escudeiro”. Enfim: “E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê.”Marcos 9:23

  2. Eu acho que se Lewis ganhasse todas restantes, ele levaria o título. Alonso não chegaria todas em 2° não, tem o Vettel, o Button, quem sabe até o Kimi para disputar essa posição com ele. Se Lewis vencesse as últimas 6 provas seria campeão. Porém acho muito difícil disso acontecer. Lewis tem mostrado que pode sim ser campeão, mas a McLaren não. Sucessivas quebras e problemas tem feito nossa equipe desperdiçar a chance de levar o título em 2012.

  3. Pessoal, talvez não esteja errado o que muito dizem aqui, que o Button é um “lord” apenas de fachada. Ele, que sempre se coloca como candidato real ao título, disse que só o Vettel e o Alonso ainda tem chances.

    http://www.grandepremio.com.br/f1/noticias/button-nao-ve-mclaren-com-chances-de-titulo-e-afirma-que-disputa-esta-entre-apenas-alonso-e-vettel

  4. Acredito eu, que o nosso guerreiro (Hamilton) esta sendo preparado para muitas glórias vitórias futuras. Creio eu, que esta temporada servirá de forma dura, de lição para o Lewis e também a Mclaren para 2013 onde a equipe/piloto estarão suficientemente maduros para pavimentar melhor o futuro (2013)!

  5. Pois é Mari… Quanto a troca de câmbio, o pessoal de Woking deu entrevista dizendo que só identificaram o problema minutos antes da pane geral. Então não sei. Acho que se coubessem antes, teriam trocado. Aquela batida do Lewis foi leve e não deve ter causado um dano tão perceptível naquele momento.

    Estou mais calmo agora. Esses incidentes acontecem (pena que só incidentes foram quatro com o Lewis, fora os erros da equipe). Agora, a disputa está, na minha opinião, entre a velocidade de nosso carro e a confiabilidade da Ferrari

    Em relação a ajudinha do Jason, li em uma entrevista dele dizendo que ainda pode ser campão, que só precisa terminar as próximas seis corridas entre os dois primeiros lugares.

    Mas estou com você, mclarista e hamiltoniaana que sei que és, sempre pronta a dar seu apoio nas angústias do automobilismo.

    • Putz, li muitas coisas em relação ao Jenson, que ele vai ajudar ao Lewis, que ele acha que ainda pode ser campeão, que ele acredita que o campeonato será decidido pelo Fernando e Sebastian… já nem ser o que é verdade! Por hora, prefiro acreditar nas palavras do Whitmarsh, como escrevi no post.

  6. Pois é Augusto! Numa entrevista do “Sir Jason”, ele disse que ainda tem possibilidade de ser campeão… e em outra diz que só o Alonso e Vettel tem chances de título… Então mes responda: Quem é que vive num mundo paralelo????

  7. 1° Tenente Marco Aurélio

    “E para a nossa surpresa, ontem Martin Whitmarsh disse para a BBC que Jenson o procurou, por conta própria, e abordou a questão de ajudar ao Lewis nas próximas corridas.”

    Lewis só tem 33 pontos a mais do que Button no WDC. Isso de “ajudar” não funciona dessa maneira. As pessoas acham que deliberadamente Button tem que ficar sempre atrás de Lewis e à frente de Alonso. Isso funciona na Ferrari pois um piloto (Massa) fica sempre atrás do companheiro tanto em classificação como em corrida. Na Mclaren por exemplo, eles se revezam na ponta, como foi Button em SPA, Lewis em Monza e Cingapura……está mais para Button vencer em Suzuka do que Hamilton, pois Button ama o lugar e seu estilo de pilotagem se encaixa na situação. Falam tanto do Alonso, que a Mclaren se esquece de Vettel, Kimi, Webber e por aí vai….E tudo isso é o que ALonso quer, que os outros se revezem nas vitórias e que ele fique constantemente no pódio. Falarei algo aqui que muitos não perceberam: a Ferrari está mantendo desde Silverstone, a diferença dos pontos entre o 1° e o 2° acima de 25…. do jeito que está, não estranhem se o campeonato acabar nos Estados Unidos!

    Não tenham dúvida de que essa diferença de 27 pontos vai cair um pouco, mas vai aumentar em seguida pois a Ferrari e Red Bull não estão dormindo observando tranquilamente o domínio da Mclaren, Cristhian Horner já avisou que levará atualizações em todas as corridas até o final do campeonato, e na Ferrari, o alerta vermelho já foi ligado, e os rumores dizem que Pat Fry e Rory Byrne estão trabalhando juntos para tornar o carro mais competitivo com o único objetivo de acabar o campeonato nos Estados Unidos.

    Claro que muita água tem para passar em baixo da ponte e tudo pode acontecer, mas se acham que o Button se tiver chance de ganhar corridas e ficar mais perto do Alonso e passar Lewis no campeonato, acabam as preferências. 33 pontos de diferença, e o Lord é traiçoeiro!

  8. Tem um outro fator tb quanto ao Botão. Lewis costuma dominá-lo mais facilmente em pistas de baixa velocidade e cheia de chincanes. Por dois motivos: quanto mais pontos de frenagem forte , mais Lewis se destaca pq ele costuma frear mais tarde e ganhar centésimos ali; e, tb quanto mais lento o circuito, mais um piloto q gosta de carro com traseira solta, se dá bem pq dá pra sambar mais a traseira nas curvas de baixa e ganhar mais uns centésimos ali (no Kart isso fica bem evidente).
    A maioria das pistas q vêm aí n têm tais características (com exceção de Abu Dhabi e o miolo de Interlagos). Enfim, Lewis deverá se classificar na frente de Jenson em quase todas, mas terá q abrir o olho durante as corridas, pq terá um outro adversário além de Alonso.
    Outros 4 problemas são:
    – é muito provável q chova em alguma corrida(só tivemos um GP com chuva q foi o da Malásia). E a Ferrari mostrou ser bem melhor em chuva. Além disso, com chuva a chance de DNF é maior. E quem vai ter q tentar dar tudo pela vitória será Lewis e portanto estará correndo mais risco.
    – Fernando n vence desde de Julho e é muito improvável ele vá ficar até o fim do ano sem mais uma vitória.
    – A Ferrari irá se dar bem melhor em pistas de alta do q se deu em Cingapura e é muito certo q o espanhol consiga podiuns em tais corridas.
    – A última grande atualização italiana foi no Canadá. Eles devem ter alguma coisa grande no forno pra melhorar o carro deles. Fry é muito bom em ressuscitar defuntos. O mesmo pode ser dito da RBR, q ao mesmo tempo pode ser uma aliada jogando Alonso pra fora do podium, como pode nos roubar vitórias.
    ——-
    Por um outro lado (analisando a questão estatística): Alonso deve ter pelo menos mais um DNF nesse ano e Lewis mais nenhum.
    —————————-
    Minha expectativa é a seguinte: se Lewis sair da Índia com menos de 25 pontos para o Espanhol, ele ainda está na briga. Mais do q isso, pra mim, já era mesmo de forma definitiva. Pra isso ele vai ter q tirar cerca de 10 pontos por corrida do asturiano, nas 3 próximas. O q é quase impossível.
    ———————–
    Vou seguir o conselho do Becken e só curtir as corridas até a Índia. E me empolgar ou não com chances de título só depois disso.

    • 1° Tenente Marco Aurélio

      A Ferrari lidera o campeonato de confiabilidade: a última vez que o carro quebrou em corrida foi na Malásia de 2010. Quebrou na qualificação de Monza pois o chassi havia sido restaurado da batida de Grossojean. O chassi que estreou em Cingapura é 0 bala. Em Maranello a regra é não quebrar jamais!

      Li em um artigo da Autosprint que o segredo da Mclaren está relacionado ao equilíbrio de temperaturas dos pneus, por isso que estão sobrando em classificação e não tanto em corrida. É algo semelhante ao que a Red Bull conseguiu em Valência, no entanto os ” Touros Vermelhos” só conseguiram realizar isso em uma pista, a Mclaren conseguiu em quatro. A temperatura dos pneus está casando com a aerodinâmica do carro que está casado com o piloto mais rápido do grid resultando no sucesso. É o oposto do que está acontecendo na Ferrari, onde não estão acertando a temperatura dos pneus para classificação e por isso estão tomando 0.8 nos treinos e 0.4 por volta em corrida. Segundo esse artigo, o mesmo está acontecendo com a Red Bull, por isso a supremacia da Mclaren.

      Eles explicam que os engenheiros das equipes grandes descobriram como manipular e influenciar a temperatura dos pneus através da aerodinâmica. Não há necessidade de aquecimento rápido dos pneus, basta estar na temperatura ideal para extrair o melhor dos pneus. É o que a Williams conseguiu em Barcelona.

    • O Jenson só chegou na frente do Lewis quando houve erro de pit ou batida. De resto, só pau. Acho que em SPA podia ser, pela asa traseira diferente, claro.

  9. http://www.grandepremio.com.br/f1/noticias/button-nao-ve-mclaren-com-chances-de-titulo-e-afirma-que-disputa-esta-entre-apenas-alonso-e-vettel

    Button? Você só pode está de brincadeira.. Cada vez mais está fazendo jus ao novo apelido de “Falso-Lorde”

    Vai desmotivar outro, não o Hamilton, que é um baita piloto e tem chances sim de conquistar o título.

    • A afirmação do Lewis de nem ter sentido a batida, e só ter afetado apenas o pneu, nem ao menos a jante da roda foi danificada, me faz entender que nem a própria McLaren sabia do problema.

      But, quem acompanha o time living da McLaren,(http://www.mclaren.com/2012/singapore-gp) deve ter visto que na hora do inicio da transmissão, alguém no pit pede para confirmar se Lewis já está indo para a sua posição no grid. Outra coisa seria o lado da sangria do óleo na hora do defeito, na câmera onboard do Vettel (Será que ele gritou igual ao Alonso?), que equivale ao da batida.

      Eu não sei o que pensar, só sei que sem foco, as seis vitórias são possíveis, e prováveis, mas a de Cingapura era “fácil”, como uns bestas dizem, o Vettel estava esperando a hora do bote quando os pneus estivessem desgastados, mas claramente, Lewis marcava as voltas do alemão, mostrando o que o carro tinha para dar. Temos o melhor conjunto da F1 hoje, mas o carro não tem confiabilidade, 4 corridas, 3 vitórias, 2 quebras.

      Difícil viver com isso, eu não teria reclamado se a equipe e o piloto tivesse escolhido trocar a gearbox, e ele como talento dele, chegar junto do Alemão, mas também não ligo que poderia arriscar e fechar nos 25 pontos. Ou ele poderia bater em uma tentativa de galgar no grid, ou, como foi, quebrar andando na frente.

      Uma coisa eu esperava do Hamilton, não desistir, dar tudo o que tem para fazer a sua parte, 6 improváveis vitórias, esperando que a equipe corresponda, inclusive o Lord teammate, tirando pontos dos adversários. No mais, contar com os ventos da bonança, para mudar o lado da sorte, de um certo carro vermelho, para os nossos. Nos resta torcer, porque é isso que podemos fazer.

      Por outro lado, a Mercedes claramente quer Lewis, diz que cobre qualquer proposta da McLaren, dos já 15 milhões de euros/ano oferecido por Woking. Se a questão é grana, já era, a montadora quer e pronto, se for um carro competitivo, acho que Brawn pode já ter dito ao que vem as flechas de prata em 2013, considerando a problemática dos motores. O que digo é, não deixei de gostar da Mclaren quando Senna foi para a William, queria vê-lo naquele carro fantástico, que o Schumi achava impossíveis de ser batido, e se lembra do campeão rodando, e que chorou quando bateu seu record de vitórias de Senna, e fingiu que havia esquecido.

      Moral da história:Profissionalismo, jogo de cena, guerra de marketing, tudo isso é F1, mas o que manda, nesses homens fantásticos e seus carros maravilhosos, é a emoção, e nisso, o nosso campeão é o maior representante, o problema é que não sabemos qual delas vai mandar na decisão. Eu espero que o amor pelo escudo, senão, ficarei dividido novamente.

      • Grande texto Alexandre.

        Só quero aproveitar para dizer a todos que, o que você esperava do Hamilton, esforço, ele vem fazendo neste ano, desde o início do ano. Este ano ele mereceria ganhar!

        Sempre se ouve por aí (e até aqui mesmo no Papaya, vejam só!) que o Alonso merece o título do campeonato. Mas se tem alguém que merece mais do que Alonso, é o Hamilton. Desde o início do ano o cara vem fazendo um trabalho incrível, mas, não sei porque (talvez por ele não estar na liderança), isso não é valorizado pelos meios de comunicação, como no caso do Alonso. Alonso está com uma confluência absurda de fatores a seu favor (outros chamam de sorte), e é difícil até que ponto isso é merecimento. Hamilton é disparado o piloto mais rápido do grid, o que ele vem fazendo nas classificações este ano é de se deixar registrado. E nas corridas, diferentemente do ano passado, faz o que pode, mas com consciência. E faço questão de repetir o que já comentei em outra oportunidade: o cara continua o mais rápido mesmo tendo que mudar seu estilo de pilotagem, por causa dos pneus; não deve ser nada fácil mudar completamente o estilo e ainda continuar na frente. Se os pneus durassem como antes, acho que ele estaria muito à frente no WDC. E devo ainda lembrar que depois de muitas desilusões este ano que teriam derrubado o ânimo de qualquer pessoa.

        Eu não sei o que a McLaren está querendo, mas deveria, ao menos, manter o que ele ganha hoje e, com certeza, tratá-lo como o grande piloto que é, para ele poder continuar na minha equipe!

      • Wow, grande post, mestre! 🙂

      • Alexandre, grande reflexão! E concordo com você de cabo à rabo. Exceto que, ao meu ver, a McLaren e o Lewis sabiam sim sobre o problema do câmbio e decidiram assumir esse risco. Acredito nisso por causa do rádio do Lewis e da postura conformada dele ao sair do carro, sem esboçar reação nervosa ou de surpresa.

        Lewis disse no rádio:
        “Gearbox failure, I’m sorry about that. We did all we could yesterday.”
        “Caixa de câmbio quebrou, me desculpem por isso. Nós fizemos tudo o que pudemos ontem.”

        Enfim, mas independente disso ter acontecido com ou sem ciência, o lance agora não é o que aconteceu, mas sim o que pode acontecer. Lewis precisa olhar pra frente, fazer o seu melhor, contar com um help do Jenson e com um azar do Fernando. E eu vou por isso, mesmo que seja algo improvável de acontecer.

        E pra quem já jogou a toalha pelo WDC, que aproveite a diversão de cada corrida, pois isso o Lewis sempre nos oferece… e com muita emoção! 🙂

  10. A McLaren e a sua honra…
    Isso me lembra os Stark de Winterfell.

    Não sei se alguém aqui acompanha os livros ou a série Game of Thrones, mas do jeito que eu sou fanática não pude evitar o paralelo.

    Os Stark são uma família muito honrada e admirável, mas que aos poucos está sendo extinta devido ao conflito entre o certo e o necessário. Enquanto isso, os Lannister estão sempre jogando sujo em pról de sua família, e como recompensa dominam o trono de ferro.

    Acho que a Formula 1 é como o guerra dos tronos: ou você vence ou você morre.

    Claro que acho linda a postura da McLaren, assim como a dos Stark, que são os meus favoritos. Mas em um jogo é necessário ter esperteza para dosar adequadamente a inteligência, a honra e a malícia… senão o título e o trono escapam de suas mãos.

    E enquanto isso, assim como os Lannister, a Ferrari não tem medo de usar a malícia em benefício próprio. O que não é uma postura admirável, mas é bastante eficiente.

  11. Ceolin comparou o Lewis’2012 com o Sebastian’2010… e o alemãozinho levou o título naquele ano, hein!
    http://www.corridadeformula1.com/detalhes-entre-vettel-2010-e-hamilton-2012/

  12. “McLaren pronta a igualar oferta da Mercedes por Lewis Hamilton”

    LINK: http://www.autosport.com/news/report.php/id/102848

  13. 1° Tenente Marco Aurélio

    O falastrão do Helmut Marko disse em uma entrevista que Alonso e Hamilton se tornaram amigos recentemente para impedir a dominância de Vettel que já dura 2 anos.
    Me admira o quanto esse cara fala besteira.
    #faladorpassamal!

    • Uau, mais uma boa notícia. Muitos jornalistas inlgeses anda detectando que a afmosfera entre ele e a equipe foi muito boa em Cingapura.

      Acho que estamos muito perto de um acerto!

  14. 1° Tenente Marco Aurélio

    Explicado o recente mal humor de Hamilton:

    http://blogs.diariodonordeste.com.br/zoeira/celebridades/chris-brown-e-nicole-scherzinger-sao-flagrados-juntos-em-boate-nos-eua/

    Obs.: ele é “amigo” de Lewis, com foto no Twitter e tudo mais.

  15. 1° Tenente Marco Aurélio

    Senhores. Gráfico coma utilização dos motores de cada piloto até aqui.
    Mclaren usou 7 motores novos até aqui e pode utilizar mais 1 novo motor até o Brasil.

    http://imageshack.us/a/img171/3964/motorisingapur.jpg

  16. Creio LM, que o Luiz fica! Porém, o contrato será de 01 (um) ano pra ele estar livre em 2014 pra negociar com a própria Mercedes ou Red Bull ou porque não a Ferrari.

    • 1° Tenente Marco Aurélio

      Lewis vai ficar na Mclaren.
      O que ele fez foi receber a proposta da Mercedes e levar para o Martin e dizer “se não me valorizar caio fora”…ah “quero meus troféus originais e 100% dos meus direitos de imagem”.
      Foi o que ele fez.

  17. 1° Tenente Marco Aurélio

    Uma nova guerra pode estar prestes a eclodir nos bastidores da F1. De acordo com a revista inglesa ‘Autosport’, McLaren, Mercedes, Force India, Caterham, Marussia e HRT enviaram à FIA uma carta demonstrando sua insatisfação com relação a temas discutidos recentemente. Dentre estes temas estão a diminuição do poder que as equipes tem na categoria e o aumento das taxas pagas pelos times.
    A publicação teve acesso a uma cópia da carta assinada pelos times e revelou que uma das principais preocupações diz respeito à redução das vagas preenchidas pelos construtores na Comissão da F1. Atualmente, 12 dos 18 membros pertencem aos times. A ideia da FIA seria reduzir este número pela metade.

    “As equipes aceitam que a composição e a operação da Comissão da F1 sejam revisadas, mas não deseja perder tanta autoridade assim”, afirma a carta. “As equipes estão preocupadas com a redução da participação de doze times para apenas seis. A manutenção do ‘status quo’ é a melhor opção”, defendem os protestantes.

    Outro delicado ponto proposto é o porquê de a FIA aumentar drasticamente as taxas de inscrição para a temporada de 2013. “Em um tempo em que a FIA e as equipes estão ativamente engajadas no controle dos gastos, as equipes gostariam de ressaltar sua preocupação com um aumento tão significativo”, dizem os times. “Além disso, as taxas pagas por pilotos e equipes para a obtenção da superlicença deveriam ser mantidas separadas, e não unidas”, continuam.

    Sobre o acordo de restrição de gastos (RRA) – que já foi alvo de uma enorme polêmica em 2009, quando o então presidente da FIA Max Mosley tentou estabelecer um teto orçamentário – as equipes estão insatisfeitas com sua introdução já em 2013. O motivo é a falta de unânimidade dentre os construtores.
    “É do nosso entedimento que dez das atuais equipes do grid votaram a favor da implantação do acordo de restrição de gastos com o chassi proposto pela FIA em 2013, e que o apoio foi unânime no que se refere a chassis e motores para 2014. Sob essas circunstâncias, gostaríamos de apoiar a introdução do programa completo de redução de gastos da FIA para 2014, com um programa voluntário para 2014”, completam.
    Vale lembrar que a Mercedes, uma das grandes a assinar a carta, ainda não aderiu ao Pacto de Concórdia que será válido a partir do ano que vem. Especula-se que o motivo que atrasa a assinatura da montadora germânica sejam as discordâncias com a FIA. Bernie Ecclestone, dono dos direitos comerciais da categoria, chegou, inclusive, a sugerir que o regulamento-técnico da F1 passasse a ser gerido pelas equipes.

    • Mari, infelizmente acho que perdemos essa guerra. Depois das ultimas declarações do Ross e dessa notícia, sei não…

      • Esses boatos já foram e voltaram tantas vezes… que só acredito vendo!
        Por isso a minha ideia era lidar com os meus sentimentos somente após o pronunciamento de amanhã.

        Mas quem disse que consigo? 🙁

    • 1° Tenente Marco Aurélio

      Li em um artigo que Hamilton está prestes a assinar um acordo de patrocínio com a Coca Cola, daí o impasse coma Mclaren. Nesse mesmo artigo diz que os contratos particulares dos pilotos não podem entrar em conflito com os acordos publicitários dos parceiros e patrocinadores da equipe, e a Coca Cola entra em conflito com o 2º principal patrocinador da Mclaren, a Lucozade.
      Nas propostas que a Mclaren enviou para Hamilton ultimamente, além da defasagem salarial, não deixam que Hamilton assine nada que entre em conflito com os interesses da equipe.
      Hamilton enviou uma contra-proposta pedindo os troféus originais, manutenção do salário de hoje, e a BOMBA: 100% dos direitos de imagem, o que o deixaria livre para assinar com quem quisesse.
      E foi isso que a Mercedes ofereceu a ele. Liberdade total para assinar com quem quiser, 100 milhões de dólares por 3 anos, e logicamente, o prestígio da marca Mercedes.
      Em salário ele ficaria só atrás de Fernando Alonso.

  18. Editores do P.O., deixem o post pronto. Parece q é inevitável agora. Vai ser um divisor de água pra esse blog. Aguardemos. #moneytalkslouder

  19. 1° Tenente Marco Aurélio

    Li agora de um repórter no Twitter que o pai de Sérgio Perez confirmou a assinatura do filho com a Mclaren para 2013 levando a Telmex e a Claro, e amanhã será o anúncio.

    • 1° Tenente Marco Aurélio

      Schumacher irá anunciar a aposentadoria amanhã em Sttugart.
      Lewis será anunciado como piloto da Mercedes em 2013.
      Mclaren irá anunciar Jenson Button e Sérgio Perez para 2013.

  20. 1° Tenente Marco Aurélio

    PAI DE PÉREZ AFIRMA QUE ASSINOU CONTRATO E PROMETE NOTÍCIA NESTA SEXTA

    Com Hamilton deixando a McLaren, piloto mexicano é o favorito à vaga na equipe inglesa Equipe Tazio 27/09/2012

    A noite de quinta-feira esquentou o mercado da F1 com a informação da imprensa inglesa de que Lewis Hamilton deve ser anunciado pela Mercedes para o lugar de Michael Schumacher na próxima temporada. Com a transferência, uma vaga importante ficaria aberta na McLaren. E não demorou para surgir a informação de que Sergio Pérez deve ocupar esse lugar.

    O pai do piloto mexicano, Antonio Pérez Garibay, afirmou no Twitter que seu filho já assinou um contrato e que terá novidades nesta sexta-feira. O jornalista brasileiro Américo Teixeira afirma em seu blog que o mexicano já teria assinado com a equipe, apoiado pelo empresário do país e seu principal patrocinador, Carlos Slim, um dos homens mais ricos do mundo.

    Curiosamente, Pérez faz parte do programa de jovens pilotos da Ferrari, rival da McLaren. Desde o começo do ano, ele foi um dos nomes mais cotados para substituir Felipe Massa em 2013, mas a equipe italiana sempre mostrou cautela quanto à mudança devido à pouca experiência do piloto da Sauber, que já conquistou dois pódios em 2012.

    Na Inglaterra, o nome de Pérez também é bastante comentado e colocado como favorito, apesar de muitos veículos também incluírem os pilotos da Force India, Nico Hulkenberg e Paul di Resta, como candidatos à vaga.

    A expectativa é que um anúncio seja feito ainda nesta sexta-feira tanto por parte da Mecedes, para oficializar a troca de Schumacher por Hamilton, quanto da McLaren, para anunciar o substituto do campeão de 2008.

  21. Não acredito….mordi a minha língua….eu não acreditava nessa mudança, mas pelo visto é verdade. Acho que o Hamilton fez bobagem….assinar com a Mercedes…..não sei não…acho que ele andou de marcha ré….mas fazer o que….não vou ser eu que vou ficar lamentando…afinal ele é quem vai ganhar a grana e não eu….sorte para ele..vai precisar se isso for verdade.

  22. 1° Tenente Marco Aurélio

    Senhores: achei no twitter o Diretor de Alianças Estratégicas da Telmex que disse que amanhã o México terá uma grande notícia.

    https://twitter.com/arturoelias

    Cravo aqui em primeira mão: Hamilton irá para Mercedes em 2013.
    Sérgio Perez na Mclaren. Como o site é dedicado a equipe e não ao piloto, a boa notícia é que a Mclaren não terá problemas financeiros por muito tempo e manterá o MTC em nível elevadíssimo!

    Telmex Mclaren Mercedes 2013.

  23. 1° Tenente Marco Aurélio

    Lewis Hamilton domingo:

    “The ultimate measure of a man is not where he stands in moments of comfort and convenience, but where he stands at times of challenge and controversy. ” Martin Luther King. Amen!!

  24. 1° Tenente Marco Aurélio

    De acordo com vários jornais ingleses – entre eles o The Daily Telegraph, The Independent, Daily Mail e The Guardian -, Lewis Hamilton será anunciado nesta sexta-feira como o novo piloto da Mercedes GP para as próximas três temporadas.

    A gigante da indústria automobilística ganhou a batalha contra a McLaren e leva o campeão mundial de 2008 para Brackley. Hamilton vai ganhar US$ 100 milhões (£61.6 milhões) e ainda terá total liberdade para negociar patrocínios pessoais.

    O anúncio certamente acabará com a carreira do piloto com mais títulos na F1, o sete vezes campeão mundial Michael Schumacher, que retornou há três anos para o esporte, mas não conseguiu fazer jus às expectativas.

    Ainda não está claro se será oferecido a Schumacher algum tipo de papel de embaixador da Mercedes ou um cargo de gestão na equipe.

    O jornal Daily Telegraph entende que a Mercedes está à espera que seu conselho em Stuttgart assine o novo Pacto de Concórdia, que é o acordo comercial que liga as equipes ao esporte e a Bernie Ecclestone, antes de fazer o anúncio oficial sobre Hamilton. Esse anúncio deve chegar hoje.

    O movimento foi mantido em segredo. A McLaren foi informada da decisão de Hamilton ontem, e pode realizar uma coletiva de imprensa na sua própria sede esta manhã, onde deve anunciar seu próximo passo.

    Não há dúvida, porém, que a rejeição de Hamilton, especialmente depois da McLaren ter melhorado sua oferta, supostamente chegando perto da oferta da Mercedes, virá como um duro golpe para a equipe, que tem Hamilton em suas fileiras desde que ele tinha 13 anos e corria de kart.

    Todos os jornais ingleses estão dando a notícia com muito pesar e Lewis Hamilton, ao que tudo indica, terá que lidar com uma mídia inglesa bastante ressentida daqui em diante.

    O The Guardian foi o único jornal que culpou a própria McLaren pela perda de seu principal piloto:

    Hamilton, ao que parece, nunca quis realmente deixar a McLaren, mas depois da equipe oferecer meros dois terços de seu salário original e ainda aumentar a sua já pesada carga de compromissos de patrocínio, mudou de ideia. É uma grande aposta para ele.

    Mas é, talvez, uma aposta ainda maior para a McLaren perder a maior atração de bilheteria no esporte. Mesmo se conseguirem assinar com Sergio Perez – o favorito para a vaga – ou um dos dois da Force India, Nico Hulkenberg ou Paul Di Resta – Hamilton é simplesmente insubstituível. E os patrocinadores podem chegar à mesma conclusão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *